sexta-feira, 16 de julho de 2010

Marcas de Baton no Banheiro

Ola,
Estou na expectativa para as ferias e quando chega as ferias vêm em meu pensamento o quanto se mostra muitas as vezes disciplinar uma criança, sem perder a ternura.
Um amigo meu enviou-me esse e-mail e eu achei que é um bom método.
Desejo a todos otimas ferias ^^

Esta história é uma ótima demonstração de uma lição que muda comportamentos.

Marcas de batom no banheiro...

Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: uma turma de meninas de 12 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso de batom.

O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas como sempre, na tarde seguinte, lá estavam às mesmas marcas de batom...

Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora.

No dia seguinte às marcas de batom no banheiro reapareceram. ..

No outro dia, o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho.

O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho.

Nunca mais apareceram marcas no espelho!

Moral da história: Há professores e há educadores.. .

Comunicar é sempre um desafio!
As vezes precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Preconceito Social

video

Ola,
Sei que estou um pouco sumido do Blog, não pensem que esqueci-me do meu Blog, tenho estado muito oculpado ultimamente.
Hoje vim falar sobre o preconceito existente entre ricos e pobres.
Nossa sociedade é uma sociedade extremamente excludente, em que melhores condições de vida e estudo são oferecidos somente a uma parcela muito pequena da sociedade e poucos esforços são feitos para que os pobres saiam da situação em que se encontram.
Eu sei que este video possui termos que quem me conhece sabe que eu não os utilizo, porém este mesmo video mostra o quanto nossa linguagem para nos referir-mos aos pobres se torna diferenciada.