segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Veneno Natural para Ratos - Utilidade Publica.


Nossos cientistas são feras mesmo!
Método usado por criadores de pássaros!
COMBATENDO OS RATOS.

"Mudei-me há poucos meses para o primeiro andar de um prédio e, como todo paulistano, estou sendo vítima desses indesejáveis hóspedes...
Pergunta daqui, pergunta dali...
Uma amiga me disse que feijão triturado matava ratos, mas não detalhou.
Fui pesquisar e descobri esse estudo da Universidade Federal de Pelotas".

Como fazer:

a) Pegue uma xícara de qualquer feijão cru (sem lavar mesmo);

b) Coloque no multiprocessador ou liquidificador (SEM ÁGUA);
c) Triture até virar uma farofinha bem fininha, mas sem virar totalmente pó.

Onde colocar:

Coloque em montinhos (uma colher de chá) nos cantos do chão;

a) Perto das portas;

b) Janelas (SIM... eles escalam as janelas...)
c) Atrás da geladeira;
d) Atrás do fogão;
e) À beira de esgotos, de córregos e valas, em ruas e/ou alamedas, por exemplo.
OBS.: O custo é muito barato e a eficácia é muito elevada!

O rato come essa farofinha, mas não tem como digerir o feijão (cru), por falta de enzimas digestivas ou substâncias que digerem feijão cru. Isso causa aos ratos envenenamento natural por fermentação. Todos os que ingerem morrem!

A população de ratos se extingue em três dias no entorno da área em que o farelo do feijão cru foi colocado.
DETALHE IMPORTANTE:

a) Ao contrário dos tradicionais venenos (Racumim, por exemplo), o rato morre e não contamina animais de estimação. E a quantidade de feijão que ele ingeriu e o matou é insuficiente para matar um cão ou gato, mesmo porque estes gostam de MATAR pra comer... Mas animal morto, eles não comem. E não há evidências de que o farelo do feijão cru faça mal a gatos e cachorros, pois, eles têm enzimas digestivas capazes de metabolizar esse alimento.

b) Se tiver crianças pequenas (bebês), ainda em período de engatinhamento, que colocam tudo na boca, não faz mal algum, pois o feijão para o ser humano, mesmo cru, é digerido. Mesmo assim, é preciso colocar o "veneno" em lugares seguros, longe do alcance das crianças, isto é, onde crianças não costumam transitar, porque a urina de ratos, em alimentos (no feijão triturado, no caso) pode conter Leptospirose, contaminação microscópica que pode matar seres humanos de qualquer idade, se não tratadas a tempo! Só isso, como cuidado!

DIVULGUEM!

NÃO TEM CONTRA INDICAÇÃO.
REPASSEM, POR FAVOR!
O MEIO AMBIENTE E A SAÚDE DE TODOS AGRADECEM!
VAMOS PARAR DE UTILIZAR PRODUTOS QUÍMICOS A TODO MOMENTO!

domingo, 4 de agosto de 2013

19:00 - A Voz do Brasil!

Getúlio Vargas criou o programa A Hora do Brasil (hoje A Voz do Brasil) em 22 de julho de 1935

"O mais antigo programa de rádio do país era transmitido, pela primeira vez, em um dia como este, no ano de 1935. Estamos falando de "A Voz do Brasil", um noticiário radiofônico público, que vai ao ar diariamente em praticamente todas as emissoras de rádio aberto do Brasil, entre 19h e 20h, horário de Brasília.

O programa foi criado durante o governo de Getúlio Vargas e, até 1962, recebeu o nome de "A Hora do Brasil", com veiculação obrigatória, para divulgar atos do Poder Executivo. Em 1962, a partir da entrada em vigor do Código Brasileiro de Telecomunicações, o Poder Legislativo passou a ocupar os 30 minutos finais do programa. Em 1971, durante o governo Médici, o nome "Hora do Brasil" mudou para "A Voz do Brasil". Mais tarde, o Poder Judiciário passou a ocupar os últimos cinco dos 30 minutos iniciais. O Tribunal de Contas da União usa esporadicamente o minuto final do programa obrigatório.

O tema inicial de "A Voz do Brasil" é O Guarani, de Carlos Gomes. A música já recebeu versões em samba, choro e capoeira."

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Real Horto - Imperial Jardim Botânico, ou simplesmente Jardim Botânico do Rio de Janeiro.


Fundado em 1809, por S.A, o Príncipe Dom João. Na foto vemos a alameda de Palmeira Imperiais trazidas de outras partes do mundo e que foram aclimatadas no Brasil.

Símbolo do Império, a Palmeira Imperial era as vezes ofertadas as pessoas mais íntimas da Família Imperial.

Infelizmente a árvore plantada por Dom João VI foi fulminada por um raio em 1972. Desde então a "Palma Mater" do Jardim Botânico, foi substituida pela "Palma filia", que foi replantada no lugar.

As palmeiras obtidas clandestinamente por Luiz de Abreu Vieira e Silva, que as ofereceu a dom João VI. 
Quando foi plantada por dom João VI, a primeira Roystonea oleracea (Palmae) brasileira passou a ser conhecida como palmeira-imperial. 

A Palma Mater floresceu pela primeira vez em 1829. Deste exemplar plantado em 1809, descendem todas as palmeiras-imperiais do Brasil, daí sua denominação de Palma Mater.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Olhos de Boi – do primeiro ao último dia

No dia 1 de agosto de 1843 o Brasil mudou a forma de pagamento da correspondência. Ela deveria ser paga antecipadamente na forma de um pequeno pedaço de papel gomado.
Antes o pagamento era realizado no destino e de acordo com a distância e o meio empregado no transporte. Com esta gigantesca reforma postal nasciam os famosos Olhos de Boi. Começaram a circular no Rio de Janeiro (Corte) no dia 1 de agosto de 1843.
Na época a comunicação era precária. Os moradores distantes da Corte estavam acostumados a pagar pelas cartas recebidas ao carteiro e como não havia televisão, telefone, etc., alguns carteiros passaram a retirar os selos afixados no Rio de Janeiro e recebiam dos destinatários acostumados a pagar. Na volta ele revendia os selos retirados e assim por diante fazia uma receita extra.
Como eles recebiam cerca de 200 réis por dia esta receita adicional passou a ser importante para o condutor das missivas.
Uma vez descoberto isso foram impressos os selos com um tamanho menor: os Inclinados. Enquanto o papel fino proveniente da Grã-Bretanha não vinha, a nova emissão foi impressa no papel remanescente dos Olhos de Boi.
Os Olhos de Boi deixaram de ser empregados no Rio de Janeiro em 1845. Em outras localidades, entretanto, existiam ainda exemplares dos Olhos de Boi. Um destes lugares de acesso difícil era o Mato Grosso. É por essa razão que o ÚLTIMO OLHO DE BOI utilizado sobre uma mensagem é justamente de 1854 com o carimbo de CUIABÁ.