terça-feira, 11 de setembro de 2007

Tudo sobre Portugal

MADEIRA E AÇORES

Existem opiniões divergentes quando à melhor forma para ocupar as ilhas mais remotas. Há quem tenha tendência para olhar para elas como bocados de terra rodeadas por grandes quantidades de água e, consequentemente, como o sítio ideal para a implantação de colónias penais semelhantes às de Alcatraz, Robben Island, St. Helena e Austrália. Outros, de natureza mais subtil, constroem lá hotéis e convidam as pessoas a sentarem-se e relaxar, sob a benção de um clima sub-tropical, chamando a essas ilhas paraíso.As opiniões sobre o destino a dar à Madeira têm mudado desde a sua exploração em 1419. Nos primeiros dias da colonização, a falta de mão-de-obra foi resolvida com a vinda de prisioneiros das prisões de Lisboa. No entanto, já há muito tempo que os visitantes encontravam nesta ilha uma população hospitaleira, um clima maravilhoso, um crescente número de hotéis e outras acomodações turísticas para todos os gostos e feitios.A Ilha da Madeira é banhada por águas da corrente do Golfo. Com os seus Verões quentes e confortáveis e Invernos suaves torna-se um destino de férias encantador, durante todo o ano. Montanhas acidentadas, com espectaculares vistas panorâmicas, contrastam impressionantemente com o verde exuberante das vinhas, bananeiras e plantações e com o brilho intenso das flores sub-tropicais.


O arquipélago dos Açores é composto por nove ilhas e situa-se no Norte do Oceano Atlântico.O arquipélago encontra-se dividido em três grupos de ilhas bem demarcados: o grupo oriental, formado por São Miguel, Santa Maria e as ilhas Formigas; o grupo central, formado pelas ilhas Terceira, Faial, Pico, São Jorge e Graciosa; e o grupo ocidental, formado pelas ilhas das Flores e do Corvo.As ilhas sobem a pique a partir das encostas alinhadas com rochas e pequenos calhaus até alturas que chegam a atingir os 2,351 metros, como é o caso da ilha do Pico. A sua instável natureza geológica é comprovada pelos numerosos tremores de terra e pelas erupções vulcânicas, hoje em dia já numa escala muito menor.
Os Açores têm um clima subtropical caracterizado por ser altamente húmido e nas suas ilhas pode ser encontrada flora abundante de origem Europeia e Mediterrânea. Um paraíso paisagístico, onde florestas mistas ainda cobrem grande parte das montanhas das ilhas.Hoje em dia, o arquipélago dos Açores encontra-se organizado como uma região autónoma, com as mesmas condições jurídicas dos distritos de Portugal continental, mas com poderes autónomos exercidos por uma assembleia eleita ao nível regional.

ALGARVE


A região da costa Sul constitui um procurado centro turístico, sendo escolhido como destino de férias não só por estrangeiros, como também pelos próprios portugueses.O clima ameno durante todo o ano, a costa de esplêndidas praias banhadas pelo Atlântico e os mais variados tipos de acomodação e diversões disponíveis, fazem com que a região seja reconhecida como o tal centro turístico. Mas, também pode evitar as multidões e visitar as pitorescas vilas piscatórias ou as montanhas do interior, onde ainda se constata um modo de vida rural.Para aqueles que procuram animação junto à praia, Faro (a capital da província), Portimão ou a sofisticada Vilamoura, com os seus luxuosos campos de golfe, podem constituir excelentes opções.Se, por outro lado, prefere destinos mais calmos, opte pela costa Oeste, onde cidades como Aljezur ainda disponibilizam praias longas e desertas, ou faça uma visita a cidades piscatórias ou mercantis, como Olhão ou a bonita e graciosa vila de Alcoutim, perto do Alentejo e de Espanha.
A não perder no Algarve

Grande parte das cidades e vilas ainda comporta o legado deixado pelos cinco séculos de ocupação árabe, legado este que é visível nas ruas estreitas e nos estilos das casas, que apresentam, na sua maioria, chaminés caiadas com variadas formas e desenhos geométricos.Apesar de muitas das pessoas preferirem visitar o Algarve no Verão, a região é igualmente procurada no Inverno, devido ao clima ameno, que se faz sentir quase 320 dias por ano, e aos preços acessíveis da chamada época baixa.Conhecido também pela sua vida nocturna, o Algarve disponibiliza mais de 70 discotecas, bares e festas que atraem pessoas de todo o país.

COSTA DE LISBOA

Lisboa, a cidade mais procurada de Portugal, concentra cenários mais do que suficientes, dentro e nos arredores da capital, capazes de a tornar num dos destinos turísticos favoritos. Em pouco mais que uma curta viagem, pode encontrar praias de areia e cidades piscatórias, como Sesimbra, a densa vegetação de Sintra, com os seus palácios reais e vistas sobre os montes e colinas de cortar a respiração, ou apenas desfrutar de viagens de barco ao longo dos estuários dos rios Tejo ou Sado.Entre as cosmopolitas estâncias de férias do Estoril e de Cascais e a costa selvagem que rodeia o Cabo Espichel, e desde o magnífico Palácio de Queluz do século XVIII até ao calmo e deslumbrante Parque Nacional da Arrábida, as hipóteses de escolha são variadíssimas.Só Lisboa merece uns dias de visita: a Torre de Belém, para nos lembrar do tempo das descobertas, o magnífico Mosteiro dos Jerónimos, do século XVI e as ruas semelhantes a um labirinto dos quarteirões de Alfama e do Bairro Alto, juntamente com as vistas panorâmicas sobre o rio, um animado calendário cultural e os mais modernos e distintos centros comerciais fazem dela uma cidade europeia única.

PLANICIES

O terreno plano estende-se desde as férteis planícies do Ribatejo, banhado pelo Rio Tejo e conhecido pela criação de cavalo e bois, até às amplas, quentes e douradas paisagens do Alentejo, que ocupam quase um terço de Portugal.Santarém, a capital do Ribatejo, é uma cidade orgulhosa no seu passado histórico e nas suas touradas e animadas feiras agrícolas. Nesta região, faça uma viagem até Tomar, fundada em 1157 pelo grão-mestre da Ordem dos Templários e conhecida pelo seu castelo e pelo magnífico Convento de Cristo.No Alentejo, grandes superfícies, vilas caiadas, castelos e cidades que suportam a herança dos Mouros, aguardam a sua visita.Évora, uma bonita cidade rodeada de muralhas, foi considerada, pela UNESCO, Património Mundial devido, não só ao seu templo Romano, como também às ruas estreitas da zona velha da cidade e aos muitos locais históricos que concentra.Portalegre e Arraiolos são mundialmente famosos pelas suas conhecidas tapeçarias, enquanto Beja domina a produção de trigo, azeitonas e cortiça.Não perca as pequenas e medievais cidades de Monsaraz, perto da fronteira com Espanha, e Marvão, que se situa no topo de um despenhadeiro, ou o esplêndido palácio de Vila Viçosa, cuja construção se iniciou em 1501.

COSTA DA PRATA

Algumas das localidades mais impressionantes aos níveis de arquitectura, história e religião situam-se no centro de Portugal, mais precisamente nesta região.Na orla marítima, praias quase vazias misturam-se com peculiares vilas e cidades piscatórias, das quais se destaca a Nazaré. No interior, a terra fértil estende-se ao longo das margens de rios como o Tejo, produzindo colheitas de uvas, fruta e arroz.Coimbra, a cidade natal de seis reis e da universidade mais antiga do país, torna-se fascinante devido às suas reminiscências históricas e por lá se poder visitar a maior escavação portuguesa de uma construção Romana, denominada Conímbriga.Mais para Norte, a cidade de Aveiro, em tempos um grande porto marítimo, ainda mantém a beleza dos seus canais e lagoa, que formam a zona conhecida por Ria.Não muito longe de Lisboa, a histórica cidade de Leiria, com uma fortaleza construída no início do século XII, constitui um bom ponto de partida para visitar as grandiosas abadias da Batalha e de Alcobaça e o mundialmente conhecido santuário de Fátima.A gastronomia regional em toda esta área é extremamente rica e variada e passa por pratos como o guisado de enguia de Aveiro, o leitão de perto de Coimbra e uma imensidão de pratos de peixe existentes ao longo da costa marítima.

MONTANHAS

Esta região, no Nordeste de Portugal, inclui algumas das melhores paisagens e zonas rurais, que vão desde a área selvagem de Trás-os-Montes até às pequenas cidades medievais, aos trajes tradicionais das Beiras e à beleza selvagem da Serra da Estrela (a serra mais alta de Portugal com quase 2000 metros).Bragança, no extremo Norte, uma cidadela do século XII rodeada por muralhas, situa-se numa das regiões mais irregulares e isoladas. Os seus invernos gelados afectam igualmente a Guarda (a cidade mais alta do país, situada a 1056 metros de altitude).Vila Real é um bom ponto de partida para visitar o vale do rio Douro, preenchido por vinhas dispostas em socalcos, que produzem vinho e Porto.Mais para Sul fica Viseu, a graciosa capital da Beira Alta, que é o centro da região produtora de vinho Dão e que se situa na rota dos castelos fronteiriços.Na província da Beira Baixa, cuja capital é Castelo Branco, não perca Monsanto, considerada a mais típica vila de Portugal.A gastronomia regional inclui o queijo mais famoso do país, ainda confeccionado à mão, cujo nome advém da Serra da Estrela, e as salsichas e carnes curadas de Mirandela.Durante o Inverno pode praticar esqui ou andar de trenó na Serra da Estrela. No entanto, as condições climatéricas não são suficientemente seguras para se proceder à criação de uma estância de esqui, o que não impede os habitantes desta localidade de apreciarem muito a época.O granito desprotegido desta cordilheira tem muito pouca vegetação, apenas suficiente para garantir o alimento das ovelhas que fornecem o Queijo da Serra.Tal como a maioria das áreas montanhosas esta é uma região propícia para caminhadas, oferecendo uma flora e uma vista fascinantes.A Serra da Estrela tem, ainda, uma raça especial de cão, também conhecido como "Senhor da Montanha". Inteligente, corajoso, terno e leal este cão tem um pêlo espesso e pesado que o ajuda a sobreviver nos climas mais frios

COSTA VERDE

Tal como o nome sugere, nesta região podem-se encontrar todas as tonalidades de verde não só nas colinas ondulantes, como também nos montes e férteis vales, onde a agricultura floresce graças às chuvas que fazem desta a zona mais verde de Portugal.A costa marítima, constituída por praias com baixos índices de poluição, dá as boas vindas ao Oceano Atlântico, enquanto outros visitantes apreciam a zona dos campos, composta por pequenas quintas, por herdades com esplêndidas mansões que têm passado de geração em geração, por vinhas e florestas de pinheiros ou carvalhos.A gastronomia é considerada uma das melhores do país, e vai desde as muitas variadas formas de cozinhar bacalhau até aos pratos mais extravagantes, como Tripas à Moda do Porto ou os famosos Rojões (onde os cominhos são utilizados para temperar a carne de porco que depois é cozinhada em vinho e alho), não esquecendo os vinhos e as sobremesas.As cidades principais desta região são Braga (com igrejas Barrocas, jardins e o extraordinário lanço de escadas do Bom Jesus), Guimarães (famosa pelo seu antigo castelo), Viana do Castelo (com luxuosas mansões construídas sob os estilos Barroco e Renascentista e com vistas de cortar a respiração) e, claro está, o Porto (a segunda maior cidade de Portugal, com uma atmosfera arquitectural do século XIX e o orgulho de dar nome ao Vinho do Porto).Ainda nesta área, não perca o Parque Nacional da Peneda – Gerês, com o seu cenário selvagem e uma grande variedade tanto em flora como em fauna

Nenhum comentário: