Renuncia do Papa e os "profetas de ocasião".



"O papa Bento 16 anunciou, nesta segunda-feira, que vai renunciar do cargo no próximo dia 28. Esta é a primeira vez em quase seis séculos que um papa renuncia ao cargo. O último fazer isso foi Gregório 12, em 1415. O papa disse em um comunicado que está "plenamente consciente da dimensão do seu gesto" e que renuncia do cargo por livre e espontânea vontade..."
Assim começou o artigo da folha de São Paulo para noticiar o que em breve será veiculado em todos os meios de comunicação e será assunto da maioria das pessoas no trabalho, em casa e nas universidades. 
Quando um líder religioso mundial morre, causa comoção, pranto e deixa saudades em seus seguidores e fiéis. Mas quando há uma renúncia as reações são diferentes e só as conheceremos em sua totalidade com o passar dos dias e das semanas.
Seja como for, acho importante, ressaltar e mesmo advertir as pessoas sinceras, e verdadeiros cristãos que se abstenham da tentação de trazer esse fato ao campo da escatologia de maneira especulativa. 
Um fato como esse, faz os "Profetas do Armagedom" saírem por aí com suas "novas" interpretações proféticas disseminando falso reavivamento. 
Neste momento sejamos sóbrios, ouvindo mais e falando menos. Deixemos que os fatos futuros expliquem melhor o que por hora vemos. 


Pr. Ivan Saraiva.

Comentários