Ano Novo Chinês & Pascoa Cristã

Ola,
 Estudando a Lição de Jovens da Escola Sabatina de domingo dia 18 de Outubro de 2009, encontrei a razão das comemorações do ano novo chinês.

***
Lição dos jovens 442009


O Ano Novo lunar é um importante festival chinês. Segundo a lenda, um monstro surgia toda véspera do Ano Novo chinês e matava muitas pessoas. Isso aconteceu durante muito tempo, até que um imortal chegou e ensinou às pessoas que o monstro tinha medo da cor vermelha e de barulhos altos. No Ano Novo seguinte, as pessoas mataram seus animais e borrifaram ou esfregaram o sangue no batente das portas.
Quando o monstro viu o sangue vermelho, fugiu correndo. Hoje em dia, os chineses colocam papel ou pano vermelho no batente das portas e soltam fogos de artifício no Ano Novo. Na véspera do Ano Novo, as famílias se reúnem para comer peixe e galinha, que são servidos inteiros.
Deus instruiu os israelitas a matar um cordeiro e borrifar o sangue nos batentes das portas no dia anterior ao da sua libertação do Egito. Foi o sacrifício da Páscoa do Senhor. Eles deviam comer o cordeiro após assá-lo no fogo (Êx 12:9). Deviam comer seu cordeiro pascal prontos para correr e lutar (Êx 12:11). A Páscoa do Senhor significou a libertação dos israelitas da perseguição e escravidão por parte dos egípcios.
Antes de partirem de seu acampamento no Sinai, os filhos de Israel comemoraram seu primeiro aniversário de Páscoa em liberdade. Deus não queria que se esquecessem de sua miraculosa redenção da escravidão egípcia. Em sua marcha tribal de três dias, a nação tinha sido guiada por Deus, numa coluna de nuvem e de fogo. A nuvem os conduzira em direção ao leste e ao norte no deserto de Parã.
Jesus Cristo, nosso Cordeiro pascal, nos libertou da escravidão do pecado. A Ceia do Senhor é a Páscoa cristã. A exemplo dos israelitas após terem comido o cordeiro pascoal, recebemos instruções para pregar o evangelho e para vigiar e orar, a fim de não entrarmos em tentação (Mt 26:41). Como os israelitas no deserto de Parã, devemos seguir Suas instruções sem nos preocuparmos com o que nos acontecerá. A chave é confiar nEle, nosso sábio Pai.

Comentários