segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Dinamarca Por Dentro

Embora pequeno em tamanho, o Reino da Dinamarca, durante sua longa história, tem criado um grande impacto na Europa e no resto do mundo. Conhecido na Idade Média como a terra dos guerreiros Vikings, que chegaram de várias partes da Europa, a Dinamarca de hoje usa seus militares para empreendimentos pacíficos. Como membro fundador tanto das Nações Unidas (ONU) como da North Atlantic Treaty Organization (NATO), a Dinamarca afirma ter enviado, desde 1948, mais equipes para missões de paz que qualquer outro país do mundo. 

A Dinamarca é o país mais ao sul entre os países escandinavos do norte europeu. É constituída de um território principal, Jutlândia, que se estende desde o norte da Alemanha, e uma série de arquipélagos no lado oriental, no Mar Báltico. A Dinamarca também tem duas colônias principais, a Groenlândia e as Ilhas Faroé.

Sua civilização data de pelo menos 1800 a.C. Embora não haja nenhum registro desse período, incrustações nas rochas mostram que os antigos dinamarqueses eram agricultores e que adoravam o Sol. Durante o século XII d.C., o cristianismo chegou à Dinamarca em parte pela influência de reis tribais que queriam fechar acordos comerciais com o Santo Império Romano.

A Reforma Protestante Luterana causou grande impacto na Dinamarca. Quando o Novo Testamento foi publicado pela primeira vez na língua dinamarquesa em 1524, rapidamente tornou-se um best-seller. A essa altura, o catolicismo romano havia se integrado em muitos aspectos do cotidiano dos dinamarqueses e impôs vários impostos sobre a população em geral.

Os dinamarqueses acolheram a independência da ideologia católica romana. Em 1536, o rei dinamarquês Christian III fundou a Igreja Evangélica Luterana da Dinamarca. Hoje, quase todos os dinamarqueses são membros dessa fé, apoiada pelo estado. A monarca, atualmente a Rainha Margarete II, atua como chefe da igreja, tendo um ministro para assuntos eclesiásticos, que é a mais alta autoridade administrativa da igreja. 
 

Nenhum comentário: